Anastasia defende união por Minas Gerais em encontro com bancada federal mineira

March 25, 2011 by

O governador Antonio Anastasia reuniu-se, em Brasília, com a bancada federal mineira no Congresso Nacional. Foto Hermínio Oliveira

O governador Antonio Anastasia reuniu-se, nesta quinta-feira, dia 24, em Brasília, com a bancada federal mineira no Congresso Nacional. Durante o encontro, ele apresentou aos deputados e senadores os programas prioritários do Governo de Minas para os próximos quatro anos. O governador defendeu a união de todos os parlamentares mineiros pelo desenvolvimento de Minas Gerais, independentemente de ideologias e vinculações partidárias.

“O mais importante é a harmonia muito forte da bancada federal de Minas Gerais, dos três senadores e dos 53 deputados federais, todos, independentemente de partido, vinculados à ideia do desenvolvimento, progresso e prosperidade de nosso Estado. É a união de Minas para termos um desenvolvimento bastante efetivo. Tenho certeza que teremos um relacionamento extremamente republicano e de alto nível com o Governo Federal, assim como temos com os municípios de um modo geral. Isso é importantíssimo para que nosso Estado avance”, afirmou Antonio Anastasia, durante o encontro.

Antonio Anastasia iniciou a reunião apresentando aos parlamentares o programa Gestão para a Cidadania, terceira etapa do Choque de Gestão, modelo adotado pelo Governo do Estado em 2003 e que promoveu ampla reforma administrativa, a recuperação das finanças pública e a retomada dos investimentos e do crescimento de Minas Gerais. Para a terceira etapa, o objetivo do governo estadual é desenvolver ações com foco no cidadão, estimulando sua participação nas políticas públicas.

Antonio Anastasia esteve acompanhado do vice-governador Alberto Pinto Coelho e dos secretários de Estado de Governo, Danilo de Castro, de Transportes e Obras Públicas, Carlos Melles, de Ciência e Tecnologia, Narcio Rodrigues, de Desenvolvimento Regional e Política Urbana, Bilac Pinto e de Gestão Metropolitana, Alexandre Silveira.

Após sua a apresentação, o governador ouviu considerações e propostas apresentadas por todos os deputados presentes e pelos senadores Itamar Franco, Aécio Neves e Clésio Andrade. Antonio Anastasia também destacou a participação do deputado Márcio Reinaldo, que será o interlocutor da bancada federal junto ao Governo de Minas.

“É muito importante que haja essa proximidade entre o Governo do Estado e a bancada federal, porque, muitas vezes, a distância, estamos em Belo Horizonte e os deputados aqui em Brasília, não permite esse cotidiano. Mas, agora, a presença do deputado federal Márcio Reinaldo como nosso interlocutor permanente, e ao mesmo tempo esses encontros, que serão frequentes, certamente permitirão que haja um entrosamento ainda maior para termos, nos temas de Minas, envolvidos o Governo do Estado e bancada federal”, afirmou.

BR-381 e metrô

O governador destacou ainda a importância da participação da bancada mineira na defesa de antigas reivindicações de Minas em obras de infraestrutura urbana e viária de responsabilidade do Governo Federal. Ele citou a necessidade urgente da duplicação da BR-381 entre Belo Horizonte e Governador Valadares e a expansão do metrô de Belo Horizonte.

“Estamos muito otimistas com os temas aqui levantados, da infraestrutura urbana e rodoviária. Como governador do Estado, acredito que a obra número um em Minas Gerais é a duplicação da rodovia BR-381, entre Belo Horizonte e Governador Valadares, que é uma obra federal. Espero que ela, agora, avance. São obras federais, por isso, os projetos têm que ser feitos pelo Governo Federal. Conversamos com o ministro dos Transportes há 15 dias, ele nos deu as notícias do andamento. A presidenta Dilma tem esse compromisso, por isso, acredito que vamos avançar. A responsabilidade do Governo do Estado, nesse caso, é exatamente fazer essa pressão política, no bom sentido, para mostrar a relevância dos projetos”, destacou.

Royalties

Durante o encontro, o governador e os parlamentares também se uniram em defesa de uma revisão dos royalties minerais no país. Antonio Anastasia adiantou que a presidenta Dilma Rousseff lhe adiantou que irá apresentar uma proposta para o setor mineral até o meio deste ano.

“Vamos depender desse estudo que está sendo feito pelo Ministério de Minas e Energia. A presidenta Dilma já me disse que pretende encaminhar até o meio do ano a proposta de revisão. Temos certeza que haverá maior justiça na questão tributária em favor de estados e municípios quanto à questão mineral, porque, de fato, o valor hoje arrecadado é quase nada. E isso não é possível, porque, desde Arthur Bernardes, no século passado, lembrávamos que o minério só da uma safra. É importante que haja, de fato, uma recomposição desses valores a favor dos municípios e dos estados. Não só Minas, o Estado do Pará, o Estado da Bahia e outros estados produtores de minério no Brasil”, afirmou Antonio Anastasia.

Ouça entrevista do governador Anastasia

Fonte:Agência Minas

Deputado Marcus Pestana é o novo presidente do PSDB de Minas Gerais

March 22, 2011 by

A convenção estadual aconteceu na sede do Partido, em Belo Horizonte

O deputado federal Marcus Pestana é o novo presidente do PSDB de Minas Gerais. Ele foi eleito na noite desta segunda-feira, dia 21, encabeçando uma chapa de consenso, que tem como vice-presidente do deputado federal Domingos Sávio; 2º vice-presidente o deputado estadual Zé Maia; o também deputado estadual Carlos Mosconi como secretário-geral e o deputado federal Paulo Abi-Ackel como tesoureiro. O mandato é para o biênio 2011/2013.

Na convenção também foi escolhido o novo presidente da seção mineira do Instituto Teotônio Vilela: será o deputado federal Eduardo Barbosa. Foram eleitos, ainda, os novos presidentes do PSDB Mulher, Lenita Noman, substituindo Eliana Piola, e do PSDB Jovem, Caio Narcio, que sucede Adriano Faria.

Marcus Pestana assume o partido com enfoque em sua organização e modernização, além de prepará-lo para as eleições do ano que vem. “Os 50 maiores municípios, principalmente à capital, terão atenção especial, mas não vamos nos esquecer dos pequenos”, afirmou o novo presidente dos tucanos.

A defesa política do governo Anastasia será outra prioridade da nova Executiva Estadual do PSDB de Minas, assim como a modernização do partido, com foco na comunicação e a integração com os militantes e os segmentos sociais, adiantou Marcus Pestana, que assume o partido em substituição ao deputado federal licenciado e atual secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues.

Anastasia e Aécio

O governador Antonio Anastasia e o senador Aécio Neves chegaram à convenção às 19 horas. Em seu pronunciamento, Anastasia elogiou a atuação de Narcio Rodrigues no partido, que conduziu o partido nas últimas eleições. “Narcio sai com o sentimento de dever cumprido. Obtivemos uma vitória esmagadora e tenho certeza de que o deputado Marcus Pestana vai manter a bandeira e vamos continuar a ser o partido mais forte de Minas Gerais”, afirmou.

Para um auditório lotado, o senador Aécio Neves lembrou que o PSDB venceu um bom combate nas últimas eleições e que a vitória foi conseqüência do trabalho apresentado à população mineira. “Somos o partido da responsabilidade gerencial e nosso novo desafio é continuar inovando, com ética e responsabilidade”, destacou.

Ouça entrevista do governador Anastasia e do senador Aécio na chegada à convenção

http://www.psdb-mg.org.br/midias/download/id/3109

Confira a nova Executiva do PSDB/MG (biênio 2011/2013)

Presidente – Deputado Federal Marcus Pestana

Vice-presidente – Deputado Federal Domingos Sávio

2º vice-presidente – Deputado Estadual Zé Maia

Secretário-Geral – Deputado Estadual Carlos Mosconi

Tesoureiro – Deputado Federal Paulo Abi-Ackel

Presidente do ITV/MG – Deputado Federal Eduardo Barbosa

Presidente do PSDB Mulher – Lenita Noman

Presidente do PSDB Jovem – Caio Narcio

PSDB de Minas Gerais realiza convenção e elege nova Executiva Estadual

March 19, 2011 by

O deputado federal Marcus Pestana assume a presidência do PSDB de Minas Gerais para o biênio 2011/2013

O PSDB de Minas Gerais realiza nesta segunda-feira, dia 21, sua convenção para eleger um novo Diretório e uma nova Executiva Estadual. A eleição acontece na sede do Partido, à Rua Alvarenga Peixoto, 974 – 2º andar, em Belo Horizonte, das 16 às 20 horas.

Têm direito a voto cerca de 800 delegados de todo Estado, além dos parlamentares tucanos e membros do Diretório Estadual e do Diretório Nacional que têm domicílio eleitoral em Minas.

Para o Diretório, serão eleitos para um mandato de dois anos 104 membros efetivos e 35 suplentes. Também serão escolhidos cinco integrantes do Conselho Estadual de Ética e Disciplina partidária, assim como seus suplentes. Os convencionais elegem, ainda, 60 delegados – e igual número de suplentes – que terão direito a voto na Convenção Nacional do PSDB, a ser realizada em Brasília, no dia 29 de maio próximo.

Depois de eleito, o Diretório Estadual escolhe a nova Executiva. O deputado federal Marcus Pestana encabeça uma chapa de consenso para substituir o atual presidente, o deputado federal licenciado e atual secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Narcio Rodrigues.

Também na segunda-feira, às 18 horas, serão eleitas as novas executivas do PSDB Mulher e do PSDB Jovem. Para o próximo biênio o Secretariado mineiro do PSDB Mulher será presidido por Lenita Noman e o do PSDB Jovem por Caio Narcio.

Executiva PSDB/MG (biênio 2011/2013)

Presidente – Deputado Federal Marcus Pestana

Vice-presidente – Deputado Federal Domingos Sávio

2º vice-presidente – Deputado Estadual Zé Maia

Secretário-Geral – Deputado Estadual Carlos Mosconi

Tesoureiro – Deputado Federal Paulo Abi-Ackel

CONVENÇÃO DO PSDB DE MINAS GERAIS

Dia: 21 de março, segunda-feira

Hora: 16 às 20 horas

Local: Sede do PSDB/MG (Rua Alvarenga Peixoto, 974 – 2º andar – Lourdes – BH)

Abaixo, confira biografia do deputado Marcus Pestana, que assumirá a presidência do PSDB/MG

MARCUS PESTANA

Natural de Juiz de Fora (MG), Marcus Pestana foi líder estudantil, vereador (1983/ 1988) e Secretário Municipal de Governo (1993/1994) em Juiz de Fora. Ocupou a Secretaria Estadual de Planejamento (1995/1998) e a Chefia de Gabinete do Ministério das Telecomunicações (1999/2001), além da Secretaria Executiva do Ministério do Meio Ambiente (2002). Fez parte da coordenação da campanha e da equipe de transição de Aécio Neves, em 2002, sendo convidado para ocupar a Secretaria de Estado de Saúde (2003/2006 e 2007/2010). Presidiu o Conselho Nacional de Secretários de Saúde – CONASS (2005/2006). Em 2006, se elegeu Deputado Estadual com mais de 104 mil votos.

Eleito Deputado Federal com quase 162 mil votos nas eleições de 2010, Marcus Pestana assumiu o seu primeiro mandato em 1º de fevereiro de 2011 na Câmara dos Deputados, onde é membro titular da Comissão Especial da Reforma Política e membro permanente da Comissão de Seguridade Social e Família.

Destaques

Como Secretário de Estado de Saúde por sete anos do Governo Aécio Neves / Antonio Anastasia, Marcus Pestana liderou profundas transformações na saúde pública de Minas Gerais:

• Construção de mais de 1.800 Unidades de Saúde para o Programa Saúde da Família, acompanhadas do Canal Minas Saúde, do Tele Minas Saúde, da educação permanente dos profissionais, do incentivo financeiro mensal para cumprimento de metas e do Plano Diretor da Atenção Primária.

• Fortalecimento da rede hospitalar através do PROHOSP e da rede FHEMIG. Desencadeou a construção de grandes hospitais em cidades polos e a ampliação, equipamento e modernização dos hospitais regionais.

• Construção de 600 Farmácias de Minas, com garantia de presença do profissional farmacêutico no interior, ampliação da lista básica de medicamentos de 41 para 135 itens e aumento do investimento estadual anual em medicamentos de 10 milhões para 170 milhões de reais.

• Construção dos Centros Viva Vida de atenção à mulher e à criança e dos Centros Mais Vida dedicados à saúde do idoso.

• Fortalecimento dos consórcios intermunicipais de saúde, ampliando consultas e exames, e da rede de urgência e emergência.

• Criação e organização de uma verdadeira rede de transporte em saúde como milhares de ambulâncias, vans, carros e micro-ônibus.

• Introdução pioneira da vacina contra a meningite C.

Agora como Deputado Federal, Marcus Pestana quer prosseguir sua trajetória de luta pela democracia e pela justiça social, defendendo no Congresso Nacional:

• A regulamentação da Emenda Constitucional 29 que garante mais recursos para a saúde.

• A reforma tributária que simplifique o sistema, reduza a carga tributária e o torne mais justo e eficiente.

• A reforma política que melhore o funcionamento da democracia no Brasil.

• A democracia e a liberdade como conquistas definitivas e intocáveis da sociedade brasileira.

• O municipalismo e um novo Pacto Federativo.

Formação Acadêmica:

Economia – Universidade Federal de Juiz de Fora (1978 – 1983)

Experiência:

Deputado Federal (PSDB)

2011-2015 Eleito em 2010 com 161.892 votos. Titular da Comissão Especial da Reforma Política e membro permanente da Comissão de Seguridade Social e Família.

Deputado Estadual (PSDB)

Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais

2010 Retomada, em 28 de janeiro, do mandato de Deputado Estadual de Minas Gerais, conquistado em 2006 com mais de 104 mil votos.

Presidente

Instituto Teotônio Vilela / MG

2009/2010

Coordenação de estudos, pesquisas e debates para subsidiar as ações do PSDB em Minas Gerais.

Professor licenciado

Faculdade de Economia – UFJF

1989

Professor licenciado (desde 1995) das cadeiras “Formação Econômica do Brasil” e “Economia Brasileira”. Participação nos cursos de extensão: “Economia Brasileira”, com os profs. Carlos Lessa e Julio Gomes de Almeida, e “Macroeconomia”, com professores da UFRJ e UFF.

Secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais

Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais

Janeiro de 2007 — Janeiro de 2010

Coordenação do planejamento e da implantação das políticas públicas estaduais de saúde no Estado de Minas Gerais. Coordenação do Sistema Único de Saúde-SUS no plano regional, em parcerias com Prefeituras, Ministério da Saúde, ONGs e entidades filantrópicas.

Coordenador

Campanhas Eleitorais

Julho de 2008 — Novembro de 2008

Atuação em formulação de estratégias, diretrizes de políticas de comunicação das campanhas eleitorais vitoriosas de Márcio Lacerda à Prefeitura de Belo Horizonte (1º Turno) e de Custódio Mattos à Prefeitura de Juiz de Fora (2º Turno).

Presidente

Conselho Nacional dos Secretários de Estado de Saúde – Conass

2005 — 2006

Coordenação do Fórum de Secretários Estaduais de Saúde na sua interface com o Ministério da Saúde, com os municípios e com a sociedade em geral. Realização de campanha nacional em favor do desarmamento e do evento nacional “O SUS e a sucessão presidencial”, (RJ/2006) em parceria com o jornal “O Globo”.

Secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais

Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais

Janeiro de 2003 — Março de 2006

Coordenação do planejamento e da implantação das políticas públicas estaduais de saúde no Estado de Minas Gerais. Coordenação do Sistema Único de Saúde-SUS no plano regional, em parcerias com Prefeituras, Ministério da Saúde, ONGs e entidades filantrópicas.

Coordenador de Planejamento, Logística e Finanças

Campanha eleitoral de Aécio Neves

Julho de 2002 — Dezembro de 2002

Coordenação estadual da campanha de Aécio Neves ao Governo de Minas, sendo responsável pela gestão do orçamento, finanças e contratações, além de participar das discussões sobre as ações de comunicação. Participação na comissão de transição, nas áreas econômica e de finanças públicas.

Secretário Executivo do Meio Ambiente

Ministério do Meio Ambiente

Abril de 2002 — Junho de 2002

Coordenação gerencial das ações do Ministério do Meio Ambiente. Realização das etapas preparatórias da Conferência de Cúpula Rio+10. Participação na assinatura do Protocolo de Kyoto, juntamente com o presidente Fernando Henrique Cardoso.

Chefe de Gabinete do Ministério das Comunicações

Ministério das Comunicação

1999 — 2002

Organização e coordenação do gabinete do Ministro Pimenta da Veiga. Atuação como representante do Brasil no Encontro dos Países de Língua Portuguesa sobre Telecomunicações, em Maputo, Moçambique; e como membro do Conselho de Administração dos Correios do Brasil.

Secretário de Estado de Planejamento de Minas Gerais

Secretaria de Estado de Planejamento e Coordenação Geral de Minas Gerais

1998

Coordenação do planejamento estratégico, do planejamento institucional, dos financiamentos externos, do orçamento do Governo Estadual de Minas Gerais.

Secretário-adjunto de Planejamento de Minas Gerais

Secretaria de Estado de Planejamento e Coordenação Geral de Minas Gerais

1995 — 1997

Coordenação executiva das ações da Seplan/MG, com suporte à atuação do Secretário Walfrido dos Mares Guia. Presidiu durante o período a Junta de Programação Orçamentária e Financeira, que integrava as ações do planejamento e da fazenda.

Presidente do Planbel

Planbel – Planejamento da Região Metropolitana de Belo Horizonte

1996

Coordenação da transição do modelo de gestão ainda do período militar para a adequação ao novo quadro pós-Constituição de 1988.

Secretário de Governo

Prefeitura de Juiz de Fora / MG

1993 — 1994

Coordenação política e institucional do governo municipal de Juiz de Fora, dando suporte à atuação do Prefeito Municipal Custódio Mattos. Interface com a Câmara Municipal e com a sociedade civil organizada.

Presidente do PSDB em Juiz de Fora

Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB)

1988 — 1992

Participante da fundação do partido, em 1988. Primeiro presidente do PSDB em Juiz de Fora. Coordenação de campanhas eleitorais em Juiz de Fora: Mário Covas à Presidência da República, em 1989; de Pimenta da Veiga ao Governo de Minas, em 1990, e de Custódio Mattos à Prefeitura de Juiz de Fora, em 1992.

Vereador em Juiz de Fora

Câmara Municipal de Juiz de Fora / MG

1983 — 1988

Eleito vereador mais jovem de Juiz de Fora, aos 22 anos. Concessão do Título de Cidadão Honorário ao senador Teotônio Vilela. Líder de governo do prefeito Tarcísio Delgado, em 1988, e coordenador da campanha das Diretas (1984), em JF.

Publicações:

O Choque de Gestão na Saúde em Minas Gerais. Organizado por: Marcus Vinícius Caetano Pestana da Silva, Antônio Jorge de Souza Marques, Eugênio Vilaça Mendes, Jomara Alves da Silva. Belo Horizonte: Secretaria de Estado de Saúde, 2009. 324p.

Coração Quente, Cabeça Fria: Pensamento, Gestão Pública e Ação Política.Marcus Vinícius Caetano Pestana da Silva. Instituto Teotônio Vilela: Minas Gerais. 2006. 136 p.

Pacto de Gestão: da municipalização autárquica à regionalização cooperativa. Marcus Vinícius Caetano Pestana da Silva e Eugênio Vilaça Mendes. Belo Horizonte, dezembro de 2004. 80 p.

Governador Antonio Anastasia anuncia PIB mineiro recorde de 10,9%

March 17, 2011 by

Governador Antonio Anastasia durante o anúncio do PIB 2010 de Minas Gerais. Omar Freire / Imprensa MG

O governador Antonio Anastasia anunciou, nesta quarta-feira, dia 16, no Palácio Tiradentes, os resultados recordes do Produto Interno Bruto (PIB) de Minas Gerais no ano de 2010, que apresentaram crescimento real médio de 10,9% em relação ao mesmo período de 2009, superando em 3,4 pontos percentuais o resultado nacional, que foi de 7,5%.

Avaliado pelo Centro de Estatística e Informações da Fundação João Pinheiro (FJP), a taxa PIB mineiro de 2010 é a maior da série histórica iniciada em 1995 pela Fundação, ou seja, trata-se do melhor resultado de crescimento econômico do Estado dos últimos 15 anos. Até então, o recorde foi verificado em 2004, quando a economia mineira cresceu 5,9%.

O governador ressaltou que resultado atesta a recuperação da atividade econômica do Estado, ante a crise financeira internacional que teve início no final de 2008, destacando a expressividade dos números frente ao crescimento nacional e até mesmo ao de países reconhecidos por apresentarem as melhores taxas de produção.

“Tenho a satisfação de informar aos mineiros e ao Brasil que nosso PIB foi de 10,9%. É um PIB extraordinário, superior, inclusive, aos padrões dos países que têm os maiores PIBs do mundo, como a China e Índia, bem superior ao do Brasil, que foi de 7,5%. Isso, portanto, sinaliza de fato a retomada efetiva da economia do Estado e vamos continuar trabalhando para que, como tem sido ao longo dos últimos anos, tenhamos um PIB sempre superior à média brasileira, o que demonstra o dinamismo da economia de Minas Gerais e o acerto da nossa política econômica”, disse Anastasia.

O governador fez o anúncio do PIB mineiro acompanhado da secretária de Estado de Desenvolvimento Econômico, Dorothéa Werneck, da presidente da Fundação João Pinheiro, Marilena Chaves, e do diretor do Centro de Estatística e Informações da FJP, Frederico Poley.

Fatores de crescimento
O estudo da Fundação João Pinheiro avalia que a expansão do emprego, da massa salarial e da oferta de crédito no Estado, ao impulsionarem o mercado interno, foram fundamentais para o intenso crescimento do nível de atividade econômica de Minas Gerais em 2010.

A equipe técnica Centro de Estatística e Informações da FJP, durante apresentação feita à imprensa, destacou ainda que o contínuo aumento da demanda internacional por produtos da pauta de exportações mineira, junto com a valorização de produtos siderúrgicos, commodities agrícolas e minério de ferro, também contribuíram para o desempenho positivo da economia mineira em 2010.

A secretária Dorothéa Werneck destacou as consequências positivas a serem geradas por um crescimento expressivo como esse, como a geração de emprego, renda e aumento da qualidade de vida.

“Todos comemoraram a taxa de crescimento do Brasil em 7,5% e estamos anunciando 10,9%, crescimento maior do que a China (10,3%) e maior do que a Índia (8,6%). Estamos vivendo em um Estado que está com um crescimento muito acima da média e isso significa para nós, mineiros, melhor qualidade de vida através da geração de mais empregos, mais renda, através de um potencial de maior consumo ainda em nosso Estado”, comentou a secretária.

No quarto trimestre de 2010, em comparação com o mesmo período do ano anterior, a taxa de crescimento do PIB estadual foi de 6,7%. O valor adicionado bruto da economia mineira aumentou 9,7% em 2010, enquanto, no país, o crescimento foi de 6,7%.

Desempenho por setor
Em Minas Gerais, o desempenho do valor adicionado na produção industrial superou amplamente o observado no âmbito nacional ao longo de todo o ano, encerrando 2010 com crescimento de 15,6%. No Brasil, a taxa foi de 10,1%. A diferença de 5,5 pontos percentuais pode ser atribuída principalmente à forte expansão da indústria extrativa mineral. No quarto trimestre de 2010, em comparação com o mesmo período de 2009, a indústria mineira cresceu 8,1%, enquanto a nacional registrou crescimento de 4,3%.
“Destacaram-se a indústria extrativa-mineral e o que chamamos de outros setores químicos, que é tirando o refino de petróleo, além dos alimentos”, destacou a presidente da FJP, Marilena Chaves. Na atividade serviços, o aumento de 7,1% da produção mineira em 2010 também foi maior que o resultado anual para o Brasil (5,4%). No último trimestre de 2010 o valor adicionado bruto estadual dos serviços cresceu 6,2% e o brasileiro, 4,6%.

Marilena Chaves ainda destacou os bons resultados obtidos no setor de serviços, citando o comércio (10,6%), transportes (13,4%), aluguel (3,6%) e administração pública (4,1%). Marilena Chaves também citou que os valores positivos na agricultura foram puxados pelos acréscimos nas safras de café (25,9%). A agropecuária foi a única atividade em que variações nos valores adicionados estadual e nacional apresentaram resultados praticamente similares no acumulado de 2010: 6,4% e 6,5%, respectivamente. No comparativo trimestral, entretanto, observa-se retração de 4,7% da agropecuária de Minas Gerais no quarto trimestre de 2010, enquanto, no Brasil, a atividade registrou um pequeno acréscimo (1,1%). No acumulado de 2010, a agricultura cresceu 8,5% e a pecuária, apenas 1,0%. No quarto trimestre de 2010, relativamente ao mesmo trimestre do ano anterior, a agropecuária estadual teve retração de 4,7%. No mesmo período, a produção vegetal apresentou retração de 6,6% e a produção animal caiu 6,5%.

Ouça entrevista do senador Aécio Neves(PSDB/MG) sobre o PIB recorde de Minas em 2010

Leia tambémParceria entre Governo de Minas e Vale amplia educação profissional

Fonte:Agência Minas

“Tesourada” do Planalto atinge estados administrados pelo PSDB

March 2, 2011 by

Minas Gerais foi o estado mais penalizado; cortes nos 10 estados governados pela oposição somam R$ 739 mi.

Minas Gerais,  São Paulo e Roraima, todos administrados por governadores do PSDB, foram os mais afetados pelo corte histórico de emendas parlamentares anunciado pelo governo Dilma Rousseff, do PT/PMDB. Os números são da ONG Contas Abertas.

Alertas, parlamentares do partido receberam a notícia com a desconfiança do que pode representar uma retaliação política, e chamaram a atenção para os prejuízos que a população daqueles estados terá com a “tesourada” do petista-pemedebista de R$ 1,8 bilhão.

Já os 10 estados governados pela oposição perderam R$ 739,6 milhões em emendas. Enquanto que restantes 17 unidades da federação  perderam R$ 1 bilhão.

O líder da Minoria na Câmara, deputado Paulo Abi-Ackel (MG), ficou surpreso com o que classificou de “desprezo”, e lembrou que durante a campanha eleitoral de 2010  Rousseff fez questão de usar o fato de ter nascido em Minas para alavancar sua candidatura. População que agora ele prejudica.

De acordo com o parlamentar, é uma atitude que se assemelha muito com aquela usada por seu antecessor. No governo Lula, MG também foi prejudicada e teve, ao longo de oito anos, inúmeras iniciativas não concluídas por causa dos contingenciamentos do Planalto.

“Os cortes em Minas são uma demonstração da falta de apreço com os mineiros e também uma prova de que Dilma usou a ‘figura de mineira’ na campanha de forma apenas oportunista”, condena.

Para MG, as emendas vetadas chegam a R$ 189,2 milhões. Segundo o deputado Carlaile Pedrosa (MG), são recursos que farão muita falta para a população. “É um absurdo esses cortes estarem acontecendo. Ficamos muito tristes, pois Minas está sempre sendo deixada de lado. Esses projetos não podem parar e teremos que trabalhar muito para recuperar verbas e fazê-los funcionar”, lamentou o parlamentar.

Roraima
Em Roraima entre os principais projetos que perderam recursos estão a manutenção de 720 km da BR-174, a manutenção de trecho rodoviário em Boa Vista, fronteira do Brasil com a Guiana, na BR-401, e a melhoria das condições socioeconômicas das famílias. A tesourada nos projetos que seriam desenvolvidos no estado administrado por Anchieta Junior somam, ao todo, R$ 185,6 milhões. “Coincidência ou não são todos estados administrados por tucanos. Espero que isso não seja retaliação”, destacou Carlaile.

São Paulo
Projeto de inovação tecnológica e a culturais estão entre as áreas mais afetadas. Para o deputado Alberto Mourão (SP), é preciso acompanhar e conhecer bem os motivos que levaram a presidente a realizar os cortes que somam R$ 115,5 milhões. “Espero que isso não tenha obedecido um critério político. Fazer cortes levando em consideração a bandeira partidária de um estado é grave”, alertou.

Ao todo, os 10 estados governados pela oposição perderam R$ 739,6 milhões em emendas o que, proporcionalmente, representa cortes de R$ 74 milhões para cada um. Por outro lado, as 17 unidades da federação restantes perderam R$ 1 bilhão, fazendo com que a média seja bem menor: de R$ 59,8 milhões para cada um, segundo o “Contas Abertas”.

Fonte: Agência Tucana/PSDBMG

 

“Tesourada” do Planalto atinge estados administrados pelo PSDB

March 2, 2011 by

Minas Gerais foi o estado mais penalizado; cortes nos 10 estados governados pela oposição somam R$ 739 mi.

Minas Gerais,  São Paulo e Roraima, todos administrados por governadores do PSDB, foram os mais afetados pelo corte histórico de emendas parlamentares anunciado pelo governo Dilma Rousseff, do PT/PMDB. Os números são da ONG Contas Abertas.

Alertas, parlamentares do partido receberam a notícia com a desconfiança do que pode representar uma retaliação política, e chamaram a atenção para os prejuízos que a população daqueles estados terá com a “tesourada” do petista-pemedebista de R$ 1,8 bilhão.

Já os 10 estados governados pela oposição perderam R$ 739,6 milhões em emendas. Enquanto que restantes 17 unidades da federação  perderam R$ 1 bilhão.

O líder da Minoria na Câmara, deputado Paulo Abi-Ackel (MG), ficou surpreso com o que classificou de “desprezo”, e lembrou que durante a campanha eleitoral de 2010  Rousseff fez questão de usar o fato de ter nascido em Minas para alavancar sua candidatura. População que agora ele prejudica.

De acordo com o parlamentar, é uma atitude que se assemelha muito com aquela usada por seu antecessor. No governo Lula, MG também foi prejudicada e teve, ao longo de oito anos, inúmeras iniciativas não concluídas por causa dos contingenciamentos do Planalto.

“Os cortes em Minas são uma demonstração da falta de apreço com os mineiros e também uma prova de que Dilma usou a ‘figura de mineira’ na campanha de forma apenas oportunista”, condena.

Para MG, as emendas vetadas chegam a R$ 189,2 milhões. Segundo o deputado Carlaile Pedrosa (MG), são recursos que farão muita falta para a população. “É um absurdo esses cortes estarem acontecendo. Ficamos muito tristes, pois Minas está sempre sendo deixada de lado. Esses projetos não podem parar e teremos que trabalhar muito para recuperar verbas e fazê-los funcionar”, lamentou o parlamentar.

Roraima
Em Roraima entre os principais projetos que perderam recursos estão a manutenção de 720 km da BR-174, a manutenção de trecho rodoviário em Boa Vista, fronteira do Brasil com a Guiana, na BR-401, e a melhoria das condições socioeconômicas das famílias. A tesourada nos projetos que seriam desenvolvidos no estado administrado por Anchieta Junior somam, ao todo, R$ 185,6 milhões. “Coincidência ou não são todos estados administrados por tucanos. Espero que isso não seja retaliação”, destacou Carlaile.

São Paulo
Projeto de inovação tecnológica e a culturais estão entre as áreas mais afetadas. Para o deputado Alberto Mourão (SP), é preciso acompanhar e conhecer bem os motivos que levaram a presidente a realizar os cortes que somam R$ 115,5 milhões. “Espero que isso não tenha obedecido um critério político. Fazer cortes levando em consideração a bandeira partidária de um estado é grave”, alertou.

Ao todo, os 10 estados governados pela oposição perderam R$ 739,6 milhões em emendas o que, proporcionalmente, representa cortes de R$ 74 milhões para cada um. Por outro lado, as 17 unidades da federação restantes perderam R$ 1 bilhão, fazendo com que a média seja bem menor: de R$ 59,8 milhões para cada um, segundo o “Contas Abertas”.

Fonte: Agência Tucana/PSDBMG

 

Folha Online: Tom Cavalcante faz vídeo com imitação de Hélio Costa

October 1, 2010 by

Convergência e afirmação de Minas

September 29, 2010 by

ANTONIO ANASTASIA

No centro da inovação do nosso modelo está a ideia-força da gestão de qualidade, com planejamento rigoroso e qualidade nos gastos públicos

A ampla aliança que se formou em Minas em apoio ao nosso projeto político não nasceu ontem, apenas para atender a urgência ou as circunstâncias da disputa eleitoral em curso. Não é fruto de intervenções de cúpula, vetos partidários ou imposições travestidas de entendimento, para atender a interesses estranhos a Minas e que nada têm a ver com a vida dos mineiros.

A nossa aliança resulta de grande convergência em torno de um governo sério, solidário, ousado e transformador, que conquistou, nesses últimos anos, com Aécio Neves à frente, a maior aprovação de toda a nossa história, e que agora, se assim os mineiros decidirem nas urnas, terei o desafio de continuar e fazer avançar ainda mais.

Nesse tempo, firmamos parcerias com todos os governos, principalmente com o governo federal, sem qualquer constrangimento político; governamos com todas as prefeituras, mesmo as que estão sob a responsabilidade de prefeitos de oposição; e soubemos compartilhar trabalho, recursos e esforços com múltiplos segmentos da nossa sociedade organizada.

Por isso avançamos tanto.

O amplo reconhecimento sobre a gestão de Minas é ainda mais substantivo porque está respaldado por instituições e autoridades que não estão no nosso campo político. O governo federal, por exemplo, reconheceu a excelência da educação pública de Minas, quando posicionou o Estado em 1º lugar em educação básica, segundo o Ideb.
Na área de assistência social, o ministério de Patrus Ananias apontou Minas como o Estado líder na implantação do Sistema Único de Assistência Social, enquanto o ranking nacional existiu.

Diversas unidades da Federação buscaram aqui ideias e projetos inovadores, testados e aprovados, como solução para antigos problemas ainda renitentes Brasil afora.

No plano internacional, fomos o único Estado subnacional do mundo convidado a apresentar o nosso modelo de gestão na reunião anual de governança do Banco Mundial.

No centro da inovação do nosso modelo está a ideia-força da gestão de qualidade, com planejamento rigoroso, austeridade fiscal, qualidade nos gastos públicos; ação integrada e efetivo controle de resultados. O ponto de chegada nunca foi outro se não o de governar para melhorar a vida das pessoas.

Por isso, nesse período, tiramos o compromisso com a equidade do papel e do discurso e investimos três vezes mais por habitante nas regiões mais pobres. Os investimentos em educação cresceram 277%; em segurança, 500%; em saúde, 732%. A pobreza caiu 46%; a mortalidade infantil, 22%; e a desnutrição caiu pela metade.

Estamos tirando do isolamento mais de 200 cidades ainda ligadas por estradas de terra; o saneamento subsidiado alcança comunidades que nunca contaram com a efetiva presença do Estado; a energia alcança todo o interior, as localidades mais distantes; a telefonia celular não é mais privilégio apenas das grandes cidades.

A economia mineira cresceu quase sempre acima da média nacional e geramos proporcionalmente mais empregos que a média brasileira. Já alcançamos cinco das oito metas do milênio. E o Ipea projeta que vamos erradicar, três anos antes do país, a pobreza extrema.

Esses são resultados de governo e projeto que têm os pés no presente e preparam o futuro sem se afastar, um só instante sequer, dos nossos valores e da nossa história. Tenho convicção de que esta Minas autônoma, altiva e próspera, senhora do seu destino, pode contribuir muito mais com a construção do Brasil do nosso tempo.

Fonte: Folha de São Paulo

Para Patrus, militancia do PT tem culpa pela queda de Helio Costa

September 28, 2010 by

Militância ferida explica queda

De acordo com o candidato a vice na chapa de Hélio Costa, eleição de 2008 não foi esquecida


Rodrigo Freitas

O candidato a vice na chapa de Hélio Costa (PMDB) ao governo de Minas Gerais, Patrus Ananias (PT), justificou ontem a subida nas pesquisas do principal adversário, Antonio Anastasia (PSDB), na região metropolitana de Belo Horizonte. Segundo Patrus, a militância petista em Minas está “ferida” e “machucada” depois das eleições de 2008, quando o PT deixou o comando da Prefeitura de Belo Horizonte nas mãos do PSB.

“O PT tinha a prefeitura e nós abdicamos de manter essa liderança na capital. Eu sinto, no contato com a militância, que isso, infelizmente, fragilizou o nosso partido e a nossa militância em Belo Horizonte e, por conseguinte, em todo o Estado de Minas Gerais”, disse Patrus.

O petista afirmou ainda que, nesta reta final de campanha, está nas ruas para tentar animar novamente os militantes do PT. “Nós estamos agora na rua exatamente para levantar o ânimo da militância do PT, dos partidos que somam conosco e também da militância das pessoas de boa vontade”, afirmou o candidato a vice-governador.

Em suas declarações, Patrus não citou o nome do ex-prefeito e candidato ao Senado, Fernando Pimentel (PT), que idealizou a aliança responsável pela eleição do prefeito Marcio Lacerda (PSB) com o ex-governador e candidato ao Senado Aécio Neves (PSDB). Em 2008, Patrus Ananias foi contra a aliança.

Desânimo

Questionado sobre se as últimas pesquisas, que apontam a ampliação da vantagem de Anastasia sobre Hélio, estão desanimando o candidato, Patrus foi enfático e negou categoricamente. “Não senti isso”, afirmou Patrus, dizendo ainda que o peemedebista está “animado” e “bem disposto” para os últimos dias da corrida eleitoral.

Influência

Patrus voltou a criticar o poder do governo estadual sobre os prefeitos do interior, referindo-se ao chamado “Partido do Palácio da Liberdade”. “Eu sempre soube que não é fácil disputar com um partido secular em Minas, que é o Partido do Palácio da Liberdade, com o governador disputando a reeleição”, disse.

Fonte:  O Tempo

Anastasia afirma estar otimista na reta final da campanha

September 27, 2010 by

Antonio Anastasia diz que decisão final no dia 3 de outubro será do povo mineiro

A nova pesquisa Datafolha divulgada na noite de ontem mostra que o governador Antonio Anastasia ampliou a vantagem sobre seu adversário Hélio Calixto Costa, do PMDB. Segundo Datafolha, a preferência por Anastasia é de 42% das intenções de voto em Minas, contra 37% do outro candidato. Na pesquisa anterior, o governador tinha 40%.

Anastasia disse que entra otimista na reta final da campanha e que o reconhecimento dos eleitores é que promoveu a virada de sua campanha em Minas Gerais. O governador afirmou aguardar com serenidade a confirmação nas urnas pelo povo mineiro da sua liderança apontada nas pesquisas.

“Sentimos nas visitas ao interior, no contato com as pessoas, uma receptividade muito grande. Sempre reitero que a decisão final é aquela que o povo mineiro, os eleitores mineiros vão acolher no dia 3 de outubro. Estamos muito tranquilos e serenos com a nossa campanha e com as nossas propostas”, afirmou Antonio Anastasia.

A liderança de Antonio Anastasia na disputa pelo Governo de Minas já foi confirmada por cinco institutos de pesquisas. Além do Datafolha, Ibope, EM Data, DataTempo/CP2 e Nexus também divulgaram pesquisas nesta semana mostrando que o governador é o preferido dos eleitores mineiros.  A 10 dias das eleições, Anastasia afirmou que continuará viajando por diversas cidades do interior para levar as propostas de seu Plano de Governo para os próximos quatro anos.

“Vamos continuar trabalhando da forma que viemos desde o início da campanha, de maneira muito responsável, muito tranquila, com o pé no chão, com muita humildade, com muita sobriedade”, disse o governador.

Hoje Antonio Anastasia visita os municípios de Guanhães (Vale do Rio Doce), Capelinha e Diamantina (Vale do Jequitinhonha). Em Diamantina, ele estará acompanhado do ex-governador Aécio Neves, do ex-presidente Itamar Franco, candidatos ao Senado, e  do candidato à Presidência, José Serra. No sábado, está prevista uma grande manifestação da coligação Somos Minas Gerais em Juiz de Fora, na Zona da Mata.

Liderança reafirmada
A nova pesquisa Datafolha também mostra que o governador seria reeleito no primeiro turno. Considerando apenas os votos válidos, Anastasia tem 51% das intenções contra 44% de Hélio Calixto Costa. Para ser eleito no primeiro turno, o candidato precisa ter 50% dos votos válidos mais um voto.

Os números do Datafolha mostram que o crescimento da candidatura de Antonio Anastasia é consistente. Em dois meses de campanha, o governador cresceu 24 pontos percentuais. O candidato do PMDB apresenta uma situação oposta. Ele caiu sete pontos no mesmo período. Em caso de eventual segundo turno, o governador Antonio Anastasia também seria reeleito, segundo o Datafolha. Ele tem 47% das intenções de voto, contra 42% do outro candidato.

 

 Senado
O Datafolha também confirmou a liderança de Aécio Neves e Itamar Franco na disputa para o Senado. Aécio tem a preferência de 67% dos eleitores mineiros e Itamar Franco está com 43%, enquanto o terceiro colocado está com 32%. Neste ano, os eleitores irão eleger dois senadores.

Considerando os votos válidos, Aécio está com 44% dos votos e Itamar 28%. O terceiro colocado com 21%. A nova pesquisa Datafolha ouviu 1.974 eleitores nos dias 21 e 22 de setembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais. A pesquisa está registrada no TRE-MG com o número 73.576/2010.